Sennheiser HD202 II

Antes de tudo, uma boa notícia: geralmente, quando recebo fones para avaliação – seja de marcas, de revendedores ou de amigos –, sempre tenho que enviá-los novamente para o dono. Mas esse Sennheiser HD202 foi cedido pela Camelot (revendedora de produtos da Sennheiser) para que ele fosse avaliado e, então, sorteado entre os leitores do site. O sorteio será realizado na página do Facebook da loja. Vale lembrar que não tenho qualquer afiliação à loja ou ao sorteio em si, que foi totalmente organizado pela loja.

 

INTRODUÇÃO

IMG_6833Já que o último teste foi do modelo mais sofisticado da Sennheiser, talvez essa seja uma boa hora de colocar os pés no chão e ir para a outra ponta, a dos mais baratos.

Faz algum tempo, mas ainda me lembro de quando minha relação com o áudio não era tão afinada quanto é hoje. Nessa época, eu já tinha algumas necessidades, mas me contentava com pouco e não tinha a vontade de me aventurar com muita profundidade no hobby. Nessa época, um dos fones que tive foi justamente esse que avalio agora: um Sennheiser HD202 II. Foi um reencontro inesperado.

Trata-se de um dos circunaurais fechados mais simples da fabricante, e aqui geralmente o preço fica na casa dos R$130, enquanto no exterior fica próximo dos 40 dólares.

 

ASPECTOS FÍSICOS

IMG_6834O HD202 é um fone simples, porém bem resolvido. É todo construído em plástico, com acentos em plástico brilhante, e o acolchoamento é revestido com um material sintético. Sinceramente, não é meu favorito porque tende a desgastar e a soltar após algum tempo de uso – na minha opinião, algum tipo de tecido (o que a meu ver não seria caro) seria uma opção mais interessante.

Ele está entre um circunaural e um supra-aural, mas não tive dificuldades em conseguir uma posição relativamente confortável. A pressão lateral é boa. Minha única reclamação aqui fica por conta do isolamento, que não é tão bom quanto poderia ser. É razoável, mas não é capaz de me isolar tanto quanto os melhores fones fechados. O Amperior e o HD 25-1 II, por exemplo, são muito menores mas fornecem um isolamento muito mais competente.

No cabo é que a Sennheiser fez uma jogada inteligente: muitas pessoas usam fones de ouvido para ver TV, e o mais comum é que sejam usados fones mais baratos – como o HD202. A Philips, por exemplo, possui modelos especificamente para esse fim. Isso torna necessário um cabo muito extenso, que é inconveniente em outras situações. Por isso, o HD202 II inclui um pequeno acessório cujo objetivo é enrolar o cabo. É bem pensado e facilita bastante o uso para aqueles que não vão ficar a uma distância significativa de sua fonte. Além disso, repete o tema estético visto nos cups do fone em si. Também é incluso no pacote um adaptador P2-P10.

 

O SOM

IMG_6829Como já disse algumas vezes em outros textos, o equilíbrio tonal é, em minha opinião, a característica mais importante de um fone de ouvido – sendo, consequentemente, a que mais me chama a atenção. E, nela, o HD202 começou me deixando bastante satisfeito. É a familiar personalidade da maioria dos fones da linha HD da marca, ou seja: sonoridade levemente escura e fechada, bastante agradável e apropriada para uma vasta gama de estilos musicais.

O que mais chama a atenção, de início, são os graves, que certamente estão além da neutralidade, mas isso não é ruim aqui. Os médio-graves são fortes, e em termos de presença me lembram um pouco alguns Grados – inclusive porque não há muita interferência na região média. É um incremento bem feito e que traz resultados positivos para estilos mais modernos. Há boa texturização nessa área, apesar de em termos de definição ela não ser – obviamente – a última palavra.

Os graves são gordos, há ressonâncias e apesar de haver bastante impacto, eles não são particularmente secos. Me lembra um pouco os baixos acústicos: além do ataque seco das cordas, existem as ressonâncias do corpo, que são responsáveis pelo som encorpado que ouvimos. No HD202 II, esse parece ser um efeito permanente nos graves. Nada, porém, que não seja perfeitamente aceitável nessa faixa de preço. Pelo contrário, ajuda a compor uma personalidade divertida.

Os médios parecem respeitar a sonoridade da casa, e são relativamente fechados. Gosto bastante do resultado agradável que se encaixa em qualquer gênero. Não ouço problemas significativos em termos de linearidade, mas ao mesmo tempo é muito evidente que se trata de um fone fechado mais simples – as colorações de gabinete são claras, apesar de com o tempo perderem significância.

IMG_6831Vozes, guitarras, saxofones, pianos e outros instrumentos que dependem de um bom desempenho nessa região não decepcionam e me soam razoavelmente naturais, fora as colorações. Em termos de transparência não tenho reclamações – não que ele vá muito além de sua faixa de preço, mas basta dizer que em momento algum senti que estava ouvindo pouca coisa ou que alguma região é excessivamente obscura. Guardadas as devidas proporções, é como um HD600 ou um HD 25-1 II: não acho que esteja ouvindo demais, mas também não sinto estar ouvindo de menos. Em termos de palco e espacialidade, não há muito o que falar: esse Sennheiser é um portátil fechado de menos de 150 reais, e não dá para esperar milagres. O considero dentro da média.

Já os agudos são mais recuados, como em muitos portáteis, e por isso pratos de bateria e outros sons agudos não têm o destaque que merecem. São surpreendentemente competentes em termos de timbre (não foram colocados brilhos artificiais propositais para dar destaque à região), mas parecem estar parcialmente encobertos pelos médio-graves – já que não há muita extensão. Ajuda a compor a personalidade mais quente do HD202, mas aqueles que buscam uma apresentação mais detalhista e transparente talvez sejam melhor servidos por outros fones.

 

CONCLUSÕES

IMG_6830Indo direto ao ponto: o Sennheiser HD202 II, pelo que custa, é um excelente fone. É simples porém bem resolvido em termos físicos e sua sonoridade é facilmente apreciada. Gêneros como pop, rock, rap, hip-hop e música eletrônica são exemplos de onde o ele se dá muito bem.

É um fone mais fechado e energético, com graves gordos e fartos e médios competentes. Os agudos não têm muito destaque, mas é algo compreensível num fone com sua proposta, e que pode ser apreciado por boa parte do público-alvo – que quer uma experiência simples e eficaz sem muitos pontos negativos. Afinal, vale lembrar que muito destaque em regiões altas pode trazer clareza mas é uma potencial fonte de fatiga auditiva.

Os que buscam uma porta de entrada na audiofilia por um preço baixo certamente vão encontrar no HD202 II uma convidativa porta de entrada.

 

Sennheiser HD202 II – R$199,00 MSRP / ~R$140,00 preço de rua (US$29,95)

  • Driver dinâmico único
  • Impedância (1kHz): 32 ohms
  • Sensibilidade (1kHz): 115 dB/V RMS
  • Resposta de Frequências: 18Hz – 18kHz (-3dB)

 

Equipamentos Associados:

Portátil: iPod Classic, Sony Xperia ZX2

Mesa: iMac, Abrahamsen V6.0, HeadAmp GS-X

 

Onde Encontrar

Camelot

KaBuM!

Submarino

Famasom

139 Comments
0